fbpx

Por que é importante fazer rastreamento de carga?

Até pouco tempo, o rastreamento de carga era uma prática bem restrita: somente objetos com valores muito significativos eram merecedores de atenção, ganhando um pouco mais que uma conferência simples no despacho e uma vistoria rápida no destino. Essa situação vem mudando com o avanço da tecnologia na logística e a consequente redução dos custos envolvidos, porque as novas técnicas de rastreamento trazem uma ampla lista de benefícios para a operação logística e o cliente final. 

O melhor de tudo: essas tecnologias já estão ao alcance de todos os bolsos.

Quando e por que usar o rastreamento de carga?

A Logística 4.0 chegou para trazer produtividade, redução de custos e melhor gestão dos recursos. Sendo assim, na cadeia de suprimentos, todos os processos que envolvem a logística e transporte precisam estar sintonizados com essa nova realidade.

O rastreamento de carga pode ser usado em todas as etapas do processo de supply chain. Uma empresa de operação logística deve investir no rastreamento inteligente de carga em um ou mais dos seguintes casos:

  1. A carga transportada tem alto valor
  2. A carga é altamente perecível ou sensível às condições de transporte
  3. O transporte tem um histórico de roubos e extravios
  4. O motorista é terceirizado e a empresa não pode rastrear seu veículo (mas se rastrear sua carga, acaba recebendo dados também sobre o veículo e o trajeto)
  5. É necessário ter dados em tempo real sobre as condições da carga
  6. É necessário analisar os fluxos de movimento da carga para definir ações

Além de monitorar cargas em todo o percurso, é possível também ter uma postura proativa em relação a erros na operação e potenciais avarias. A equipe logística passa a ter acesso a dados como trajeto, condições do percurso, aceleração média, frenagens bruscas, hora de saída e previsão de chegada, entre outros itens que variam de acordo com o sistema contratado. 

Com as novas informações, é possível calcular melhor os prazos entre entregas e saber quando o veículo estará livre para a próxima carga. Os sistemas de rastreabilidade mais inteligentes permitem conferir o nível de combustível e prever quando será necessário realizar abastecimento, além de sugerir manutenções preventivas.

Imagine vacinas que precisam ser descartadas no destino, pois sofreram algum aumento de temperatura no transporte. Sem o rastreamento devido, a carga seria descartada imediatamente no recebimento. Com o rastreamento de carga inteligente, o motorista do caminhão recebe um alarme no momento em que um sensor detecta um pequeno aumento da temperatura – assim ele pode parar a viagem, reparar o problema e salvar o lote transportado. É essa a proatividade que um bom rastreamento permite.

Um outro benefício do rastreamento de carga e seu monitoramento em tempo real é a prevenção de extravios e furtos. Cargas de alto valor, como dispositivos de telecomunicações e mesmo peças de equipamentos, acabam exigindo um seguro para seu transporte ser viável. Investir em monitoramento inteligente permite ter mais controle sobre o transporte de carga e suas condições, permitindo a consequente negociação e redução do valor dos seguros.

Outro ganho dessa tecnologia é perceber previamente um problema no trajeto, permitindo informar o motorista sobre desvios na rota ou notificar o cliente para um possível atraso na entrega. Caso haja danos no veículo, também é possível acionar rapidamente a seguradora e enviar outro caminhão para cumprir as entregas, minimizando prejuízos.

A satisfação do cliente é também um ponto importante, já que o mesmo pode acompanhar com detalhes todo o trajeto até a entrega da carga comprada. A rastreabilidade de carga, portanto, proporciona segurança, fidelidade e satisfação de clientes, justificando ainda mais o investimento em uma tecnologia de rastreabilidade.

Rastreando um código de barras

O público consumidor do e-commerce está acostumado a ter informações passo a passo sobre suas encomendas ao longo do trajeto. Esse rastreamento mais simples é realizado através do registro do pacote a cada ponto intermediário no transporte. Isso já permite uma maior comodidade ao cliente, que tem informações sobre o caminho da sua compra e também alguma previsibilidade de chegada. Como cada pacote tem um código de barras que o identifica, tudo fica mais fácil para seu rastreamento.

Uma operadora logística carimbando códigos de barra para registrar produtos no sistema

A tecnologia do leitor óptico (aquela luz vermelha seguida de um beep, avisando que conseguiu ler o código de barra) é bastante difundida. Ela está presente nos caixas de pagamento do supermercado e também na mão dos operadores logísticos, quando realizam os processos de escolha de produtos no armazém e de carregamento em um caminhão. 

O problema com essa abordagem é ter que disparar o gatilho do leitor item a item, o que torna o processo demorado e propenso a falhas. Você deve sentir isso no supermercado, esperando um bom tempo enquanto todas as compras passam pelo leitor do caixa… imagine então como se sente o operador logístico que aperta o gatilho do leitor milhares de vezes ao dia, registrando caixas que entram e saem de caminhões.

Óptica, não – magnética!

Uma tecnologia que vem sendo recentemente aplicada ao rastreamento de carga é a magnética. O RFID – do Inglês “identificação por rádio-frequência” – permite que um leitor (uma antena constantemente lendo sinais) faça a detecção da intensidade da força eletromagnética de um pedaço pequeno de metal magnetizado com um código. Essa solução é usada em diversas aplicações, como no pedágio Sem Parar (detectando a aproximação do carro de um assinante e abrindo a cancela) e em fazendas de gado (um mourão de controle detecta um brinco em cada rês individualmente, registrando sua presença e a localizando no pasto).

Essa realidade – usar sensores magnéticos para melhorar processos – está cada vez mais próxima do nosso dia a dia. As lojas Amazon Go, bem conhecidas pelos americanos, não exigem que você espere no caixa para pagar suas compras. A Amazon aboliu os caixas na saída: todos os produtos comprados são registrados e debitados na sua conta Amazon, ou porque o sistema percebeu quando você os retirou da prateleira ou porque você usou o carrinho especial da loja para carregar tudo. Como ele percebe isso? Usando principalmente a tecnologia magnética. Câmeras e sistemas de visão computacional complementam essa inteligência, retroalimentando as imagens para que o sistema erre cada vez menos nas cobranças.

O carrinho inteligente das lojas Amazon Go

RFID para rastrear cargas

Essa leitura por proximidade torna o RFID muito útil no rastreamento de carga. Relembre o exemplo visto acima, em que um operador logístico carrega caixas em um caminhão e confere a carga item a item com um leitor óptico. Imagine agora um pallet contendo 4 por 4 caixas, já empilhado e pronto para ser embalado no transporte. Para registrar o embarque e garantir que o material entregue está correto, o leitor óptico teria que ser acionado manualmente 16 vezes, caixa por caixa, até o sistema acusar cada produto na remessa. 

É muito comum que a contagem das caixas some um valor menor ao final – ou seja, o operador sabe que carimbou 16 vezes mas somente constam 15 caixas lidas pelo sistema. Isso significa que alguma leitura falhou, e o operador precisa refazer todo o procedimento até garantir que registrou as 16 caixas únicas e sem erros.

Qual o ganho do uso do leitor RFID nesse exemplo? Por um custo de poucos centavos a mais, cada pacote recebe uma etiqueta especial contendo o metal magnetizado de RFID. Ao invés de ler 16 caixas item a item, o operador simplesmente aponta o leitor RFID para o pallet e em menos de um segundo, os 16 itens são lidos simultaneamente e imediatamente registrados no sistema. Um único aperto de botão (usando RFID) contra 16 (usando leitura óptica).

Uma outra operadora logística registrando todos os pacotes de um pallet no sistema de uma vez só

A conclusão é que isso economiza muito tempo e reduz o retrabalho no processo de conferência das entregas. Na operação logística, somente substituir a leitura óptica pela tecnologia RFID traria muitas horas de economia no transporte de cargas, tanto dentro do armazém como na distribuição. Muitas horas economizadas significam menos esforço, menos custos, menos erros e mais produtividade.

O GPS e o roaming fazem o resto

Seja com leitura óptica ou magnética, registrar as condições de uma carga não pode depender da proximidade entre ela e o operador. Cargas estão em constante movimento, e muitas vezes bem longe do alcance de quem precisa controlá-las. Por isso, é importante que as informações sobre o rastreamento estejam disponíveis remotamente e indicando claramente a localização da carga.

A rede GPS, já amplamente conhecida de todos, contribui para a localização das cargas que estejam acopladas a um sensor dessa natureza. Mas enquanto um sensor GPS consegue realizar a triangulação dos satélites e determinar sua localização com precisão, é preciso fazer essa posição ser informada a uma central de controle. Em outras palavras, só localizar não adianta – é preciso uma estrutura de telecomunicação para tráfego de dados.

Os aplicativos de trânsito como o Waze se utilizam dessa tecnologia conjunta – GPS e roaming. Enquanto o sensor GPS do smartphone localiza a posição do veículo, o chip de telefonia envia esses dados a uma rede de transmissão que é funcional em praticamente toda a superfície do globo terrestre. A transmissão dos dados a partir da carga só não é possível em lugares sem sinal de celular – e mesmo assim, eles podem ser acumulados para serem transmitidos quando for detectado um sinal.

Esse acoplamento de sensores inteligentes a objetos do dia a dia – cargas com certeza estão entre eles – é um movimento denominado de Internet das Coisas (do Inglês IoT, ou Internet of Things). Rastreamento de carga inteligente se torna automaticamente um objeto na internet das coisas.

Para entender mais como funciona o IoT diversos sensores para rastreamento inteligente, leia o post “Rastreabilidade na Logística” em nosso blog clicando nesse link.

Quer ajuda para decidir?

Muitos exemplos citados nesse texto mencionam cargas em transporte, mas podem ser aplicados a qualquer tipo de ativo relevante para a empresa. Quando ouvir falar de rastreamento, pense em monitoramento – ou seja, não só rastrear, mas ser capaz de tomar decisões rapidamente com base nessa informação de rastreio. 

Dito isso, a tecnologia hoje permite rastrear até mesmo o fluxo de empilhadeiras no armazém e otimizar seu deslocamento através de um sistema automático, ou alertar um supervisor quando trabalhadores entram em uma área perigosa de uma grande mina. 

A Trackage é uma empresa que apoia clientes de diferentes portes com soluções de otimização logística. Independente da tecnologia usada, acreditamos que a melhor solução deve garantir vitórias rápidas ao gestor, mas também benefícios no longo prazo sem exigir investimentos muito altos.

Uma dessas soluções é o Trackage Move, um sistema para monitoramento inteligente de ativos e pessoas. Você pode rastrear qualquer coisa, indoor ou outdoor, e obter dados relevantes para otimizar sua produção. Além de definir cercas geográficas virtuais e otimizar suas rotas internas, o gestor tem acesso a indicadores e recebe notificações em tempo real quando algo sair da normalidade. O Move pode tanto coletar os dados por conta própria, como também analisar os dados de rastreamento que a empresa já tem coletados com sua infraestrutura existente.

Como um exemplo de aplicação com sucesso dessa solução, em 2018 nós ajudamos a Latam a economizar mais de R$ 1 milhão em combustível nos tratores que movimentam bagagens no Aeroporto Internacional de Guarulhos. Realizando o rastreamento dos tratores, o Trackage Move otimiza o tráfego e diz quais deles deveriam se dirigir a quais portões e esteiras de bagagem. Os benefícios foram a redução de custos e maior agilidade nos tempos de serviço.

Exemplo de tela do Trackage Move, monitorando e controlando os tratores Latam no Aeroporto Internacional de Guarulhos

Para o rastreamento de carga tradicional, temos soluções de baixíssimo custo como transmissores descartáveis que informam localização da carga a cada dez minutos. Temos também produtos mais inteligentes para demandas mais específicas, como o Trackage Alfajor – um dispositivo multi-sensor que oferece monitoramento em tempo real, sensível à velocidade, luz, temperatura, pressão, impactos e violações de carga.

Se sua empresa tem problemas com rastreamento de carga ou precisa reduzir despesas geradas por um transporte insatisfatório, conte com a Trackage para encontrar uma solução. Siga também nossas redes sociais, para sempre acompanhar novidades do mercado de logística.

Deixe um comentário