Skip to main content
smart-city

Afinal, o que é Smart City?

Smart City é um tema bastante em alta ultimamente. E para você entender melhor a respeito da revolução das cidades inteligentes, primeiramente vamos te dizer o que é uma cidade inteligente.

É um conceito bastante recente, porém importantíssimo para estimular discussões que visam uma cidade com maior qualidade de vida para as pessoas, recursos gastos de forma otimizada e gestão pública facilitada. Quem não gostaria de viver em uma Smart City?

 

Smart City

Uma Smart City nada mais é do que um sistema de pessoas interagindo e utilizando recursos tecnológicos para catalisar o desenvolvimento e a melhoria da infraestrutura da cidade. Ela se caracteriza pelo uso estratégico de recursos, informação, tecnologia, planejamento e gestão urbana para dar resposta às necessidades sociais e econômicas da sociedade.

 

10 pontos-chave de Smart Cities

De acordo com o Cities in Motion Index (CIMI), do IESE Business School na Espanha, 10 pontos-chave indicam o nível de inteligência de uma cidade: capital humano, coesão social, economia, gestão pública, governança, mobilidade e transporte, meio ambiente,planejamento urbano, conexões internacionais e tecnologia.

  • Capital humano – Produção cultural, índices de escolaridade da população e pesquisas científicas, por exemplo;
  • Coesão social – Qualidade do sistema de saúde, imigração, segurança, inclusão social, políticas de amparo à terceira idade, etc;
  • Economia – Incentivo à inovação, economia local e demais propostas para o desenvolvimento econômico;
  • Gestão pública – Implementação de novos modelos de gestão e administração;
  • Governança – Refere-se principalmente aos níveis de participação da população nos processos da cidade;
  • Mobilidade e transporte – Facilidade de acesso aos serviços públicos e transporte dentro das cidades;
  • Meio ambiente – Suporte às fontes de energia alternativas, gestão da água, combate à poluição e demais políticas de sustentabilidade;
  • Planejamento urbano – Planos de desenvolvimento que foquem em cidades compactas, acessíveis e interconectadas;
  • Conexões internacionais – Reconhecimento internacional, incentivo ao turismo e aos investimentos externos;
  • Tecnologia – Implementação e desenvolvimento de sistemas de informação e comunicação bem estruturados.

 

Essas métricas são fundamentais para determinar a ”inteligência” de uma cidade. O conceito de Smart City já é uma discussão global fundamental sobre  o desenvolvimento sustentável e movimenta um mercado global de soluções tecnológicas, que é estimado a chegar em US$ 408 bilhões até 2020.

 

Exemplos de cidades inteligentes

Exemplos para inspirar todas as cidades e governantes do mundo. Essas cidades são só o começo do futuro promissor que o conceito de Smart City representa no mundo.

 

Copenhague

A capital dinamarquesa é um exemplo de sustentabilidade e planejamento urbano na redução do uso de combustíveis fósseis.

Desde 2005, Copenhague já reduziu 21% das emissões de carbono por meio de ações do governo local, como por exemplo a adoção de regras ambientais na construção de edifícios e o incentivo aos meios de transporte alternativos — em Copenhague, metade da população utiliza bicicletas diariamente para o deslocamento até o trabalho.

 

Songdo

Considerada como a primeira smart city do mundo, Songdo, na Coreia do Sul, é referência em matéria de planejamento urbano.

Áreas verdes, lagos e canais artificiais abastecidos com água salgada, 25 quilômetros de ciclovias, um sistema de coleta pneumática de resíduos e táxis aquáticos são apenas alguns exemplos de medidas implementadas na cidade.

 

Amsterdã

Desde 2009, com o início do projeto Amsterdam Smart City, a capital da Holanda tem realizado investimentos nas áreas de habitação, mobilidade e planejamento de espaços públicos, com o objetivo de aumentar a eficiência energética.

Um exemplo é o incentivo às bicicletas e meios de transporte com baixa emissão de carbono entre a população, além de projetos para a implantação de estações de abastecimento de carros elétricos pela cidade. Outras ideias incluem ainda o fornecimento de energia renovável – por meio da geração eólica – e o fomento de uma cultura de consumo colaborativo.

 

Ao invés de definir qual cidade é ou não uma Smart City, que tal pensarmos nas atividades e fatores que podem tornar uma cidade mais inteligente?

Indo por esse gancho, gostaríamos de compartilhar uma pesquisa, elaborada pela  Urban Systems e publicada pela EXAME.COM, cujo resultado é o ranking Connected Smart Cities, que aponta as 100 cidades mais inteligentes (e conectadas) do Brasil.

O estudo das cidades mais inteligentes do Brasil avalia a integração entre mobilidade, urbanismo, meio ambiente, energia, tecnologia e inovação, economia, educação, saúde, segurança, empreendedorismo e governança em mais de 500 cidades brasileiras, usando 70 indicadores.

As grandes cidades, de fato, dominam o topo do ranking e confirmam a hipótese de que, quanto maior a cidade e maiores seus recursos, também maior é a chance de ocorrer grandes investimentos.

 

Smart Cities destaques

Porém, vale destacar a presença de municípios de pequeno e médio porte que conseguem ir contra toda essa tendência de cidade grande.

Ribeirão Preto, Uberaba (lar da Trackage <3), Uberlândia, Cajamar e Indaiatuba são grandes exemplos de cidades inteligentes, mesmo com número reduzido de espaços e habitantes.

Vale destacar também a cidade de Salto (SP), que literalmente saltou em 2017, pois estava fora dessa lista no ano passado e hoje figura como a 54ª cidade mais inteligente do Brasil.

 

Confira o ranking completo:

2017 2016 Cidade Pontuação
São Paulo (SP) 33,197
Curitiba (PR) 32,472
Rio de Janeiro (RJ) 32,125
Belo Horizonte (MG) 30,785
Vitória (ES) 30,426
Florianópolis (SC) 30,281
Brasília (DF) 29,987
10º Campinas (SP) 29,788
13º São Caetano do Sul (SP) 29,418
10º Recife (PE) 29,339
11º 11º Porto Alegre (RS) 29,283
12º 12º Santos (SP) 29,026
13º Barueri (SP) 29,013
14º 14º Campo Grande (MS) 28,881
15º 25º Palmas (TO) 28,365
16º 15º Goiânia (GO) 28,294
17º 18º Salvador (BA) 28,031
18º 16º Niterói (RJ) 27,894
19º 17º Maringá (PR) 27,334
20º 30º São Bernardo do Campo (SP) 26,978
21º 21º Jundiaí (SP) 26,968
22º 19º Ribeirão Preto (SP) 26,956
23º 45º Londrina (PR) 26,933
24º 32º Juiz de Fora (MG) 26,73
25º 20º Petrópolis (RJ) 26,569
26º 22º Santo André (SP) 26,51
27º 23º Blumenau (SC) 26,466
28º 31º Uberlândia (MG) 26,321
29º 29º Fortaleza (CE) 26,228
30º 55º Indaiatuba (SP) 26,146
31º 26º Piracicaba (SP) 26,109
32º 33º São José do Rio Preto (SP) 25,944
33º 59º Uberaba (MG) 25,929
34º 35º Itajaí (SC) 25,897
35º 27º Joinville (SC) 25,737
36º 67º Cajamar (SP) 25,699
37º 24º São José Dos Campos (SP) 25,669
38º 71º Paulínia (SP) 25,663
39º 40º Vinhedo (SP) 25,657
40º 49º Resende (RJ) 25,62
41º 64º Colatina (ES) 25,598
42º 36º Macaé (RJ) 25,512
43º 38º Amparo (SP) 25,438
44º 79º Cuiabá (MT) 25,407
45º 70º Limeira (SP) 25,328
46º 28º Teresina (PI) 25,208
47º 47º João Pessoa (PB) 25,191
48º 83º Botucatu (SP) 25,167
49º 63º Presidente Prudente (SP) 25,049
50º 57º Marília (SP) 25,028
51º 86º Jaguariúna (SP) 24,976
52º 44º Araraquara (SP) 24,961
53º 52º Cascavel (PR) 24,92
54º Salto (SP) 24,884
55º 75º Valinhos (SP) 24,874
56º 43º Osasco (SP) 24,81
57º Americana (SP) 24,631
58º Itumbiara (GO) 24,594
59º 77º Dourados (MS) 24,578
60º 60º Sorocaba (SP) 24,551
61º 82º Praia Grande (SP) 24,361
62º 61º Balneário Camboriú (SC) 24,324
63º Patos de Minas (MG) 24,311
64º 81º Pato Branco (PR) 24,291
65º Catanduva (SP) 24,174
66º Itatiba (SP) 24,124
67º 76º Guarulhos (SP) 24,099
68º Araras (SP) 24,022
69º Joaçaba (SC) 24,013
70º Cachoeiro de Itapemirim (ES) 23,965
71º 51º Natal (RN) 23,931
72º 80º Ilha Solteira (SP) 23,931
73º Hortolândia (SP) 23,861
74º Cubatão (SP) 23,784
75º 37º Contagem (MG) 23,751
76º 73º Viçosa (MG) 23,731
77º 56º Umuarama (PR) 23,699
78º 58º Bauru (SP) 23,658
79º 65º Volta Redonda (RJ) 23,616
80º Cotia (SP) 23,606
81º 50º Santa Maria (RS) 23,596
82º 46º São Carlos (SP) 23,577
83º 85º Linhares (ES) 23,576
84º Ouro Preto (MG) 23,573
85º Itaúna (MG) 23,557
86º Belém (PA) 23,526
87º 54º Anápolis (GO) 23,519
88º 97º Jataí (GO) 23,495
89º 68º Toledo (PR) 23,461
90º Atibaia (SP) 23,458
91º Sete Lagoas (MG) 23,434
92º Itupeva (SP) 23,432
93º 66º Mauá (SP) 23,423
94º 78º Aracaju (SE) 23,408
95º Itu (SP) 23,392
96º Jaboticabal (SP) 23,331
97º 84º Campina Grande (PB) 23,308
98º 62º Poços de Caldas (MG) 23,285
99º Mogi Guaçu (SP) 23,274
100º Diadema (SP) 23,249

 

Smart City não é uma utopia. É uma necessidade para um futuro melhor.

Veja também: Internet das Coisas (IoT): 15 Startups brasileiras para ficar de olho

Até o próximo!

 

Você poderá gostar também:

Pré-venda Trackage
Newsletter

Warning: count(): Parameter must be an array or an object that implements Countable in /home/trackage/www/blog/wp-includes/class-wp-comment-query.php on line 405

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *